quinta-feira, outubro 28, 2010

JUÍZES MADRAÇOS DEDICAM-SE A PASSATEMPO ("bem melhor do que o SUDOKU!", nota Marinho Pinto, o Bastoneiro)

Os juízes portugueses são uns malandros que não querem trabalhar e antes  se divertem com passatempos, como, por exemplo (há milhares de exemplos!) o seguinte passatempo publicado em DR:


O art. 1º do Dec.-Lei nº 35/2010, de 15 de Abril, começa da seguinte forma:

Os artigos 143.º e 144.º do Código do Processo Civil aprovado pelo Decreto -Lei n.º 44 129, de 28 de Dezembro de 1961, alterado pelo Decreto -Lei n.º 47 690, de 11 de Maio de 1967, pela Lei n.º 2140, de 14 de Março de 1969, pelo Decreto -Lei n.º 323/70, de 11 de Julho, pela Portaria n.º 439/74, de 10 de Julho, pelos Decretos -Leis n.os 261/75, de 27 de Maio, 165/76, de 1 de Março, 201/76, de 19 de Março, 366/76, de 15 de Maio, 605/76, de 24 de Julho, 738/76, de 16 de Outubro, 368/77, de 3 de Setembro, e 533/77, de 30 de Dezembro, pela Lei n.º 21/78, de 3 de Maio, pelos Decretos -Leis n.os 513 -X/79, de 27 de Dezembro, 207/80, de 1 de Julho, 457/80, de 10 de Outubro, 224/82, de 8 de Junho, e 400/82, de 23 de Setembro, pela Lei n.º 3/83, de 26 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 128/83, de 12 de Março, 242/85, de 9 de Julho, 381 -A/85, de 28 de Setembro e 177/86, de 2 de Julho, pela Lei n.º 31/86, de 29 de Agosto, pelos Decretos -Leis n.os 92/88, de 17 de Março, 321 -B/90, de 15 de Outubro, 211/91, de 14 de Junho, 132/93, de 23 de Abril, 227/94, de 8 de Setembro, 39/95, de 15 de Fevereiro, 329 -A/95, de 12 de Dezembro, pela Lei n.º 6/96, de 29 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 180/96, de 25 de Setembro, 125/98, de 12 de Maio, 269/98, de 1 de Setembro, e 315/98, de 20 de Outubro, pela Lei n.º 3/99, de 13 de Janeiro, pelos Decretos -Leis n.os 375 -A/99, de 20 de Setembro, e 183/2000, de 10 de Agosto, pela Lei n.º 30 -D/2000, de 20 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 272/2001, de 13 de Outubro, e 323/2001, de 17 de Dezembro, pela Lei n.º 13/2002, de 19 de Fevereiro, e pelos Decretos-Leis n.os 38/2003, de 8 de Março, 199/2003, de 10 de Setembro, 324/2003, de 27 de Dezembro, e 53/2004, de 18 de Março, pela Leis n.º 6/2006, de 27 de Fevereiro, pelo Decreto -Lei n.º 76 -A/2006, de 29 de Março, pelas Leis n.º 14/2006, de 26 de Abril e 53 -A/2006, de 29 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 8/2007, de 17 de Janeiro, 303/2007, de 24 de Agosto, 34/2008, de 26 de Fevereiro, 116/2008, de 4 de Julho, pelas Leis n.os 52/2008, de 28 de Agosto, e 61/2008, de 31 de Outubro, pelo Decreto -Lei n.º 226/2008, de 20 de Novembro, e pela Lei n.º 29/2009, de 29 de Junho, passam a ter a seguinte redacção: ........................

Divirtam-se, divirtam-se...

quarta-feira, outubro 27, 2010

ESCABROSO
O COMPORTAMENTO DOS CABRÕES


Enquanto estes merdas se "divertem"



o país encaminha-se para isto:




sábado, outubro 23, 2010


THE BIG JOKE
(Este texto contém palavras e idéias eventualmente chocantes.
As peles mais sensíveis devem usar protector)

Diz-se por aí que Portugal é um síto mal frequentado e talvez nunca se julgasse possível que viesse a ser assim tal mal frequentado.


Todavia, só pessoas maldosas enveredam por essas enormidades.


Dissparate!


Imaginem que até há quem diga que os políticos são uns filhos-de-puta, uns cabrões, uns merdas, ladrões, chulos e que fossem todos para a puta-que-os pariu-e-ó-caralho!


Que linguagem, meus amigos, que linguagem!!! Uns grosseiros estes tipos....


Uma pessoa preocupa-se em ser tão fino, tão educado, imagine-se, tão refinado e educado ao ponto de estar a ser fodido a torto e a direito e não reage ou nem dá conta... e depois vêm estes grosseiros com palavrões e o caralho (ai, perdão...)...


Gente mal educada, é o que é!


Na verdade, não devemos exagerar. 


... se bem que... é por demais evidente que há por aí uns meliantes engravatados, exímios em inglês técnico e com compulsão congénita para a vigarice que...


Mas serão meros meliantes com ares apaneleirados e unhas de gel??


Ora, perante tão magna questão meti mãos à obra, pesquisei, investi todo o meu labor e creio ter efectuado uma fenomenal descoberta.


Não! Não é uma gentalha qualquer: É toda uma nova sub-espécie de gentalha!


Os seus sinais mais recentes detectam-se, por exemplo, na altura em que a então CEE começou a despejar dinheiro no país.


Nessa altura, os detentores de terras (os verdadeiros detentores de terras, os de nome sonante e centenas e até milhares de hectares!), directamente (porque, sim, eles sentam-se em S. Bento!) ou através dos seus capangas ministros e secretários de estado, trataram de harmonizar as políticas de aplicação dos fundos estruturais europeus com os seus interesses pessoais e dos seus amigalhaços.


Isto porque, é bem de ver, é mais fácil receber milhões para não produzir - o que implica receber sem nada fazer e é quase o mesmo do que receber por dá cá aquela palha - do que ter a trabalheira de gerir as agrárias, os agrários e as agruras do negócio agrário e mais as sementeiras e as colheitas e todas essas arrelias.


Para quê a chatice de cuidar da fruta quando o 'caroço' estava ali à mão se semear?!


O mesmo se passou com as pescas, pois melhor do que pescar o pescado é antes lançar a rede aos subsídios estatais a troco do abate dos... barcos de pesca!


O tecido empresarial, pelo seu lado, embevecido com o dinheiro fácil dos subsídios para tudo e mais um par de botas, descurou a modernização, interessados, tal como os amigos agrários e pesqueiros, em jipes, ferraris e outros bens de consumo, e deitou assim a competividade no caixote do lixo, rindo alarvemente da sua capacidade de sacar dinheito fácil ao sistema.


De resto, o sucesso de tal sub-espécie é de tal ordem que não carecem de adquirir verdadeiras competências.


Basta-lhes fingir que as adquirem ou adquiriram, pois são pessoas de enormes recursos marginais e subterrâneos e uma grande lábia.


Têm seguidores em todo o lado, sempre prontos a receber mais um subsídio, esse sim, o verdadeiro e grande objectivo na vida, ou mesmo a ladrar quando tal lhes é ordenado!


Por isso mesmo, a formação profissional em Portugal, subsidiada pelos fundos europeus, serviu para tudo menos para formar profissionais, que era o que menos importava, pois, como se  sabe, a formação profissional só serve para trabalhar!


De repente, porque a mentalidade criminosa desta nova sub-sub-espécie não conhece limites, inventaram as parcerias público-privadas assentes em contratos que não lembrariam ao próprio diabo!


"Inventaram-se?", perguntam os caros leitores (se os houver), "então essa figura jurídica não existia já?".


Sim, existia, mas não era a mesma coisa...


As parcerias público-privadas à portuguesa consubstanciam essencialmente uma forma de legitimar o assalto ao erário público por banda daqueles que, enquanto governantes, contratam em nome do Estado para logo a seguir passarem a sentar-se na mesa de administração das empresas que outorgaram tais fabulosos contratos: "Porreiro, pá!".


E fazem-no impunemente!!! Mesmo quando o Tribunal de Contas intervém e denuncia o desvario criminoso ao Ministério Público!


E com razão o fazem impunemente! Eles - os da tal sub-espécie - têm consciência de si, sabem muito bem que pertencem a uma nova sub-espécie rapace e dominadora.

Sabem muito bem que estão no topo da cadeia alimentar.

Foi, assim, possível concluir, após laborioso estudo, que constituem uma sub-espécie pertencente à sub-sub-espécie gentalha, a qual, por sua vez constitui uma derivação sofisticada da taralhoca espécie Zé Povinho, que se desenvolveu na parte ocidental da Pensínsula Ibérica, sem grande sucesso, diga-se...

Falamos, naturalmente da portuguesíssima e recente sub-sub espécie chicus-espertus espertus.

sexta-feira, outubro 22, 2010

IMBECIS OU IMBECILIZADOS?

Exactamente! CHICUS-ESPERTUS-ESPERTUS.

O máximo expoente evolucionista do Zé Povinho lusitano.


Esses mesmos vigaristas que desde o Guterres (que ao chegar ao Governo encontrou uma dívida que pouco passava dos 10% do PIB), passando pelo Barroso e acabando nesta peçonha a quem chamam Sócrates e todos os milhares de boys que enxameiam os lugares onde há uma teta da vaca pública, e após muitos negócios altamente lucrativos para os chicus e completamente ruinosos para o Estado (todos nós outros), nos puseram a dever 120% do PIB.


Neste momento (neste momento! e ainda a procissão vai no adro!), cada português deve 17.000 Euros!

Cortam-se os apoios sociais quando os pobres deles mais precisam (basta ver o desemprego crescente) e dão-se de mão beijada 4.500 MILHÕES de euros para salvar o BPN.

17.000 MILHÕES de euros estão contabilizados em OFFSHORES e andam estes palhaços armados em governo atrás do trabalhador por conta doutrém cortando nos benefícios fiscais!


Como tenho vindo a dizer, estes vigaristas conseguiram pôr um país inteiro a trabalhar para eles.

E tudo isto sem pejo ou pingo de vergonha e com total impunidade, nem que para isso eles mesmos, porque são também o legislador, tenham de mudar a lei em seu favor, como fizeram relativamente ao caso Casa Pia onde toda a paneleiragem rosa se safou!

Na Islândia temos o ex-primeiro-ministro a ser julgado pela má gestão da coisa pública - por negligência!


Aqui, a anedota é total e "o povo é sereno" ou então... é mesmo estúpido ou estupidificado!


Mera semântica, pois o resultado está à vista!

sábado, outubro 16, 2010

domingo, outubro 10, 2010

O VERDADEIRO, O AUTÊNTICO CHICO-ESPERTO

(*) Nesta extravagante situação, é curioso relembrar como apareceu (e cresceu) a criatura que nos levou à ruína.
Sócrates veio da província com a ambição de fazer carreira.


Como educação formal, não foi além de um vaguíssimo diploma de engenheiro, extraído à complacência de uma universidade privada.


E, como profissional, não se lhe conhece um currículo respeitável.
E, no entanto, "subiu".


E, assim, Portugal recebeu do céu (na verdade, do Largo do Rato) um primeiro-ministro, obscuro e vácuo, que não lhe merecia, em princípio, a menor confiança.
Mas, tendo votado nesse grosseiro produto do PS, agora não se deve queixar.



(*) Apenas o texto é do Vasco Pulido Valente (extracto do publicado no jornal Público)

domingo, outubro 03, 2010

QUEM CABRITOS VENDE E CABRAS NÃO TEM...
DE ALGUM LADO LHE VEM...

E como é possível, em Portugal, ninguém se perguntar sobre aqueles políticos com os currais cheios de cabritos, mas que nunca tiveram nem têm cabras!!!???

Não há investigação???

...pergunta tola!

Tudo isto é uma ilusão!

O discurso político, apesar de ser uma mistificação, passa e volta a passar, e é aceite uma e outra vez, mesmo quando se diz e desdiz e contradiz com a mesmíssima facilidade de sempre.

Isso acontece, eventualmente, porque do outro lado há toda uma populaça imbecilizada, domesticada, pavlovianamente domesticada!

A cada dia que passa perdemos um pouco mais da nossa soberania, da nossa credibilidade, da nossa identidade.

O melhor que este país foi capaz de produzir foi um sistema que permite a uma qualquer cambada de ladrões, gatunos, corruptos, gentalha da pior espécie, instalar-se em pontos estratégicos de poder político e assaltar o erário público.

Desde o caso melancia, passando pelo que veio a lume e fora o que se ignora, são as faces ocultas, os freeports, os submarinos, as autorizações para urbanizações em área supostamente protegidas, com derrube ilegal de centenas de sobreiros..

São os jobs para os bois  (os bois), as danças das cadeiras que custam milhões e enchem os bolsos dos administradores, são os administradores públicos a ganharem dezenas e dezenas e alguns até centenas de milhares de euros POR MÊS, são as reformas dos políticos por inteiro e ao fim de poucos anos de (eu ía dizer trabalho, mas não digo, para não ser mentiroso!), são as parcerias público-privadas para executar obras de que ninguém precisa mas que enchem os bolsos a uns quantos do partido, são os contratos absolutamente ruinosos para o Estado, pelos quais andamos uma vida inteira a pagar e ainda vai sobrar dívida para os nossos filhos e netos.

Quem é que põe termo a isto????

Portugal está transformado numa coutada de uns quantos que conseguiram pôr um país inteiro a trabalhar para eles.

E tudo isto à vista de todos!

Embora nem todos consigam ver.

Ou não queiram...

Por credulidade ou ... sei lá...

Calhando... sou eu que estou a ver mal...

e todavia... se o monte parece ser merda, se cheira a merda e se sabe a merda, o mais certo é ser mesmo merda!!!

O PAÍS NÃO É A PAISAGEM, SÃO AS PESSOAS...

Se inda ao menos este fosse um país das bananas, sempre podíamos equilibrar a balança comercial com a sua exportação.

Infelizmente, este é um país de bananas!

DE BANANAS!!!

UM FDP É UM FDP É SEMPRE UM FDP!!!

O primeiro-ministro disse que as medidas de austeridade foram decididas com "um aperto no coração".

e de repente lembrei-me do Oscar Wilde

"O que é um cínico? Um homem que conhece o preço de todas as coisas sem lhes conhecer o valor." 



nisto, eis que o Nietczsche me assalta a cabeça:
 
"O cinismo é a única forma sob a qual as almas vulgares se aproximam do que seja a honestidade; e o homem superior terá os ouvidos atentos para todo o cinismo grosseiro ou sutil e se felicitará toda vez que um bufão sem pudor ou sátiro da ciência prosear diante dele."
PETIÇÃO A FAVOR DO FIM DA ATRIBUIÇÃO, ANTES DOS 65 ANOS DE IDADE, DAS PENSÕES DE REFORMA AOS DETENTORES DE CARGOS PÚBLICOS E POLÍTICOS, BEM COMO DA SUA ACUMULAÇÃO.


Para: Presidente da República, Assembleia da República, Primeiro Ministro
Exmo. Senhor Presidente da República
Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República
Exmo. Senhor Primeiro Ministro

Assunto: Fim da atribuição, antes dos 65 anos, das pensões de reforma aos detentores de cargos públicos e políticos, bem como da sua acumulação.

Face à crise que o nosso país atravessa, bem como ao facto de estarem a ser impostos aos portugueses medidas brutais, tais como aumento de impostos, redução nos salários e remunerações, cortes nas pensões de reforma, cortes nos apoios aos trabalhadores desempregados, corte em todos os apoios sociais, aumento do preço dos medicamentos para os que deles necessitam, etc., etc.

Considerando que o Estado gasta anualmente milhões de Euros na atribuição de reformas e outras subvenções a actuais e ex-detentores de cargos públicos e políticos, num regime de privilégio inaceitável e moralmente condenável, tanto mais indecoroso face às restrições impostas aos trabalhadores e aos cidadãos portugueses mais carenciados e desprotegidos.

Considerando que as mais severas restrições devem incidir em quem mais pode e que o exemplo deve ser dado por quem tem tido a responsabilidade de governar ao longo de todos estes anos;

Considerando que a esmagadora maioria dos portugueses só adquire o direito à reforma ou aposentação aos 65 anos, de acordo com os salários que auferiram durante a sua vida activa e com os condicionalismos que a lei impõe;

Os cidadãos subscritores desta petição exigem:

1 – Que sejam cortadas, de imediato, todas as pensões de reforma atribuídas aos actuais e ex- detentores de cargos públicos e políticos que não tenham atingido ainda os 65 anos de idade.


2 – Que sejam cortadas, de imediato, todo o tipo de acumulações de pensões pelo exercício de cargos públicos e políticos e que estas também não possam ser acumuladas com remunerações auferidas no exercício das suas actividades profissionais.


3 - Que o calculo e o regime para a atribuição das suas pensões de reforma sejam, de imediato, iguais ás dos demais trabalhadores portugueses;


Setembro de 2010


Os signatários
 
 
assinar em : http://www.peticaopublica.com/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2010N3117

sábado, outubro 02, 2010

INCAPACIDADE

Gostaria de poder dizer algo sério sobre o país, a situação, os governantes.


Não consigo.


Simplesmente não sou capaz.

Desconsidero de tal forma esta gentalha que se diz representante do povo que falar deles num plano que denotasse alguma (sequer) consideração pelas suas pessoas seria uma aberração, uma coisa mirabolante.


Na verdade, sinto-me incapaz de associar alguma imagem de humanidade, de capacidade, de valor ou de uma qualquer qualidade de pessoa humana a estes sócrates, passos, portas, louçãs, jerónimos e o caralho!


Nem consigo entender como é que ainda há gente a votar  de cruz.


Estes bandalhos saqueiam o país, conduzem o país à ruína e... não acontece nada!!!


Deixo aqui uma frase que me enviaram, tal como a recebi:


"PORTUGAL É HOJE UM PARAÍSO CRIMINAL ONDE ALGUNS INOCENTES IMBECIS SE LEVANTAM PARA IR TRABALHAR, RECEBENDO POR ISSO DINHEIRO QUE DEPOIS LHES É ROUBADO PELOS CRIMINOSOS E AJUDA A PAGAR ORDENADOS AOS ILUMINADOS QUE BOLSAM CERTAS LEIS."*

*Barra da Costa, criminologista

CHEIRO A ESTURRO...

Cheira-me que se porventura os hipermercados vendessem pólvora em pacotinhos de quilo, esta merda era capaz de estourar...

ou talvez nem assim...